Há duas fases na criação de um qualquer projeto de e-book. Duas fases que correspondem a etapas de definição do próprio ser humano: o conteúdo e a forma. Definir o conteúdo do e-book é a primeira fase: temos que entender o que nos leva a escrever, o que escrever, como escrever. A segunda fase passa por trabalhar graficamente o texto: dar-lhe forma e torna-lo atrativo. Vamos começar então …

 

Conteúdo

 

Quem é o Público-Alvo? O passo inicial de qualquer estratégia de conteúdos é a identificação do público-alvo. Saber entendê-lo irá contribuir para que o trabalho se desenvolva à sua volta.

O primeiro objetivo deste trabalho é identificar essa pessoa. Traçar o seu perfil. Quem é ela? Predominantemente do sexo masculino ou feminino? Que tipo de profissão ela exerce? Aonde vive? Este e outros tipos de perguntas são fundamentais para que o projeto de elaboração do e-book seja começado. Através das respostas a estas perguntas poderemos consolidar o estilo de linguagem a utilizar e o design do próprio e-book.

Mas existe um segundo objetivo deste trabalho. Interpretar o nosso público-alvo também deve levar-nos a conhecer as suas principais dores e angústias. O e-book nada mais é do que a introdução a um serviço que pretende resolver essas dores e angustias com uma solução ou soluções concretas.

 

Definição do Propósito. Depois de definido o público-alvo e o conjunto de problemas que o afetam, é preciso ter em conta o contexto em que o e-book se insere. Devemos ter uma visão geral do mesmo, enquadrado que está num conjunto de produtos ou serviços que queremos oferecer.

Neste sentido o e-book é o primeiro caminho no funil de infoprodutos que queremos construir. Ele é uma oferta que se quer integrada nesse funil e que responda aos anseios do público-alvo. Conciliar estes dois objetivos leva-nos a concluir que o e-book tenha que ser desenvolvido como oferecendo uma verdadeira oferta de valor.

Aqui fica, então, o conteúdo ideal do e-book: deve ser um conteúdo de alto valor oferecido gratuitamente e que abra o apetita para o produto premium. Um e-book tem que ser mais do que meramente uma solução de um problema, deste modo. Ele deve oferecer um complemento do que vem a seguir. Deve ser inserido numa cadeia de valor que começa com a sua oferta.

Neste sentido tem que existir um comprometimento com os problemas do nosso público-alvo mas igualmente que ele seja encaixado numa pirâmide de ofertas de produtos informativos de valor.

 

Estruturar Conteúdos. Depois de trabalhar os fundamentos do nosso e-book, chegamos à fase da sua estruturação. E aqui devemos delinear, claramente uma introdução, um desenvolvimento e uma conclusão. Um bom e-book tem que ser claro e ser estruturado de forma clara.

Uma maneira de escrever um bom e-book é através de conteúdos de fácil compreensão. Assim a utilização de listas onde se descrevem os assuntos é uma boa maneira de trabalhar o texto. Podemos desenvolver textos como 7 fases para ou 7 maneiras de… A listagem serve para tornar o conteúdo acessível e facilmente assimilável.

 

Estilo de Linguagem. A linguagem a utilizar terá que correspondem ao tipo de público que pretendemos trabalhar. Mais profissional ou menos profissional, mais formal ou menos formal, tudo irá depender de como descrevemos a nossa persona.

 

Forma

 

Existem inúmeras maneiras que podem ser desenvolvidas para aperfeiçoar tecnicamente um texto. Claro está que esta parte é bastante relevante e no design de um texto conquistam-se clientes e aumenta-se a faturação. Um texto sobre como criar um design de sucesso para um e-book é um trabalho em si mesmo, por isso deixo aqui uma recomendação só.

Uma boa maneira de trabalhar a forma do seu e-book de uma maneira simples e barata é através da utilização de templates pré-customizados que se encontram disponíveis na internet. Plataformas como a hubspot, entre outras, disponibilizam estes templates de forma gratuita.

O trabalho deve ser então condicionar o texto escrito dentro destes templates pré-customizados. O requisito mínimo para que isso aconteça é desenvolver angariar fotos ilustrativas do conteúdo em websites que as disponibilizam gratuitamente.